Paulo Navarro | sábado, 26 de outubro de 2019

Foto: Edy Fernandes


A “chanson” Song

É fácil falar com Catarina Song Chen, comunicar com quem ama educação, com quem é cidadã do mundo, logo, dona de um pensamento “diversificado”. Difícil é ser CEO (Chief Executive Officer) da Escola Americana de BH e CHO (Chief Household Officer), Chefe de Casa. “Ambos são desafiadores de maneiras diferentes. Liderar uma escola internacional é mais desafiador do que chefiar uma família”.


Catarina, com esse nome tão cosmopolita, você é brasileira, chinesa, coreana, americana?

Sou cidadã americana, meu nome revela diferentes heranças culturais - asiática, latina e norte-americana. Sou coreana-americana, casada com um chinês-brasileiro. Meu nome reflete tudo isso!


A Coreia do Sul é uma potência. E é por causa da educação, da tecnologia ou de muito trabalho? 

Os sul-coreanos saíram da pobreza e de uma ditadura para uma democracia liberal. Trabalho duro e investimento em educação ajudaram. Hoje, o sucesso está no crescimento industrial.


Esta escola internacional é a Escola Americana?

Muito além, somos uma escola internacional. Somos chamados de Escola Americana de Belo Horizonte e celebramos mais de 60 anos de educação de ponta em Minas. A escola foi fundada em 1956 por famílias americanas que queriam uma educação continuada para seus filhos no Brasil.


Qual o diferencial da Escola Americana? 

A EABH oferece um currículo internacional, em três diplomas: o Americano, o Brasileiro e o prestigiado Diploma Advanced Placement Capstone. Oferecemos atenção individualizada com uma relação de proporção entre professor e aluno pequena. Nossa metodologia é baseada em pesquisas de ponta, tornando o aprendizado divertido, motivacional e relevante.


Como uma mulher cosmopolita vê a Educação no Brasil em geral?

O Brasil tem potencial. Uma cultura vibrante. Adotei-o como meu novo lar e adoraria compartilhar meu conhecimento e minha experiência para ajudar na educação.


Deveríamos ter também escolas no estilo Coreia do Sul ou Cingapura? 

Há um grande número de escolas surgindo no Brasil. No entanto, há uma falta de sofisticação nos modelos de educação bilíngue. Seria maravilhoso oferecer diversidade e opções, mas, no momento, não vejo uma oportunidade de mercado.


Diversão é a melhor rima para educação e profissão? 

Engajamento é fundamental e estimula a motivação, logo, nos divertimos quando estamos engajados.


A diversidade é importante para educação na sua profissão?

Diversidade é liderança. Estudantes e professores diversificados, enriquecem o aprendizado. A diversidade nutre pensamentos divergentes.


O que é um TCK?

“Third Culture Kid” (Crianças de uma Terceira Cultura). Pessoas criadas em uma cultura que não seja a dos pais ou a cultura do país que consta no passaporte (ou onde nasceram).


Como se fala “obrigado” em coreano?

"Gam-sa Hap-nida"! Gracias, thank you, muito obrigada pela oportunidade de compartilhar minha história.