Paulo Navarro | quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Amigos e decanos do colunismo social e eletrônico no Brasil e em Minas Gerais: Amaury Jr. e o titular da coluna

Foto: Barbara Dutra


Mestre dos flashes 

Respeitemos “O Cara”! Ele tem 40 anos de trabalho. Façanha que o figura traduziu, com desdém e modéstia, assim, em recente entrevista para “O Globo”: “Trabalho muito, são 40 anos como burro de carga”. Estamos falando do “mentor e farol” Amaury Jr., mais uma vez, porque o discípulo aqui comemora, neste 2018, 30 anos de Paulo Navarro Comunicação, ou “30 anos como burro da carga”, sob sol e chuva.

Mestre das festas 

O jornalista e apresentador paulista retomou o vício do cigarro há alguns meses, após diferentes tratamentos. O hábito maldito volta à sua vida e “a vida é uma festa”, como confessa o título de sua biografia lançada em 2015. Neste 2018, ele comemora seu retorno à Band.

Mestre das trevas 

Retorno entrevistando Michel Temer, Roberto Carlos, Zezé Di Camargo e a funkeira Jojo Todynho. “Meu programa foi feito para mostrar as pessoas que deram certo, o Brasil que é diferente dos telejornais”. Com mais de 60 mil entrevistas no currículo, fez um balanço da carreira.

Mestre das caras 

“As pessoas querem que eu seja um canhão de informações. Não é assim. A coluna social sempre sofreu preconceito. Hoje, não mais”. Antes, aparecia quem tinha dinheiro: “Como isso mudou, e acho que consegui levar a nova linguagem para a TV, não gerou antipatia.” Internet X TV? “Quem continuar criando o melhor conteúdo vai continuar ganhando o jogo”.

Mestre e lúcido 

E nossos 30 anos continuam rimando com os 40 de Amaury Jr.: “O problema é a educação. O brasileiro tem pouca educação para assimilar programas de conteúdo. Então, os popularescos, que divertem, são campeões. Se você faz algo cultural, não tem valor. Nosso telespectador não tem educação. É culpa do governo. Pega a TV da Alemanha: ‘Ai, a televisão europeia é uma puta chatice’. É uma chatice, mas eles têm preparo cultural para assimilar aquilo. Lá não tem ninguém dançando na boca da garrafa.”

Curtas & Finas

* Amaury Jr. é casado há 40 anos: “Minha mulher é minha companheira, construiu tudo comigo. Eu sou da antiga. Tem sexo ainda. Tem os perdões das derrapadas. Brincadeira! Não dei escorregada nenhuma. Depende do que quer dizer escorregada”.

“Eu sou um dos caras que menos ganham na televisão brasileira. Minha origem é de jornal. Quando eu fui para a televisão, tive a oportunidade de fazer merchandising, protagonizar comerciais. Aí você fica mais notório, as pessoas te escolhem”.

“Hoje não tem mais isso. Eles só pegam fenômenos de força total, como Anitta. Mas estou bem. Consegui tudo o que minha ambição pediu”.

“O importante é viver feliz. Se fizer o que gosto, não terei um dia sequer de trabalho. Estou regaseificado e não penso em parar tão cedo.”

* Em reunião com o MPMG, representantes de moradores e de movimentos sociais entregaram documento à Procuradoria, reforçando que se cumpra a decisão judicial que proíbe escoamento de minério pela rodovia que liga BH a Nova Lima.

* NaSala e Land Spirit promovem, neste sábado, no Chevals, a Tarde de Inverno, com show de Lulu Santos.