Ferro e Ferraz

Foto: Natália Alvarenga


Ferro e Ferraz

É duro ser brasileiro! Mas a vida só é dura para quem é mole, o que não é o caso do sensato, batalhador e diversificado empresário Rodrigo Ferraz. Restaurateur e empreendedor, criador; tudo tendo o sabor como matéria prima. Sabor não, sabores de Minas e do Brasil. Espírito de desbravador, incansável curioso deste enorme e continental Brasil. É duro ser brasileiro, mas o Ferraz é de ferro.


-  Rodrigo, antes o eco de uma antiga conversa. Um dos problemas do Brasil é que aqui, os fins continuam vindo antes dos meios?
Podemos incrementar: o fim vem antes do começo. Estive em Porto Alegre, uma ponte, que era para estar pronta antes da Copa do Mundo, está parada e não finalizada. Três anos DEPOIS !


- Como vai a noite em BH?
Tropeçando, quase caindo. A maioria dos estabelecimentos está sofrendo muito. E sempre a falta do turismo de negócios. É fundamental um centro de convenções apropriado à importância de BH. O Minascentro e a Expominas são importantes, mas precisamos de outro que atenda melhor eventos corporativos e de porte nacional.


- Como vai a crise nas tuas noites? Conseguiu enganá-la?
Como estamos diversificados, desde a produção de cerveja,  restaurantes, eventos e entrega para empresas, não reclamamos,  nem comemoramos. Trabalhamos duro para manter o barco navegando.


- E o Projeto Fartura?
Fartura - Comidas do Brasil está indo muito bem, somos considerados uma das maiores plataformas gastronômicas do país. Realizamos uma viagem pelo Brasil pesquisando ingredientes, mercados, receitas e personagens, para as nossas redes sociais, livros, filmes, programas de rádio e eventos gastronômicos. 


- E esta mais recente do Fartura em São Paulo?
Sucesso! 10 mil pessoas no Jockey, ingressos esgotados. Fomos aplaudidos pelo público e pela imprensa nacional.


- A comida mineira ainda é um surpresa em São Paulo e no resto do Brasil?
É reconhecida em todo Brasil e estamos chegando ao exterior. The Guardian, um dos principais jornais da Inglaterra, publicou grande matéria sobre o pão de queijo. Reportagens sobre a cachaça, café, o Festival de Tiradentes, Comida de Buteco, Minas no Madrid Fusion, etc. E o governo estadual vem apoiando.


- Você tem tempo para se alimentar bem?
Sim. Consumo moderado, principalmente na bebida.


- Com o Fartura qual foi a melhor surpresa?
As pessoas! Quem faz os nossos pratos e está no campo ou no mar, do Antônio Lopes, pescador de ostras da Ilha de Superagui, Paraná, até a dona Terezinha que faz caxiri em Roraima.


- Sem bairrismo e com sinceridade, Minas tem a melhor culinária?
Pela arte, pelo gosto de cada um, é impossível falar qual é melhor ou pior. Não é somente o que você come mas o que está à sua volta. Mas por ser caloroso, tradicional, rico e farto, Minas é o melhor lugar para se comer!


- E o Festival de Gastronomia e Cultura de Tiradentes?
Nosso principal evento e onde tudo nasceu há 20 anos. Temos várias novidades...