Chuva e dilúvio

Na 11ª edição do Minas Fashion Week que aconteceu no Ouro Minas, os organizadores do evento Aline Medlley e Leonardo Fonseca
Foto: Edy Fernandes 

Chuva e dilúvio
O bom humor de uma amiga resumiu seu dia, na semana passada: “Hoje tomei café, chuva, suco de abacaxi, água e um tombo”. Não devemos reclamar de tanta chuva que, quando demora, faz muita falta. Mas tem gente morrendo. Mas chuva não mata, pouco caso e irresponsabilidade, sim.

Nascimento rebelde
No livro, num EUA fictício, o governo aplica leis para empresas bem-sucedidas sustentarem as fracas, para que todas participem do mercado. Os sábios decidem se isolar, não querem sustentar os medíocres. Entram em greve e o caos se instala. Rand morreu em Nova York, em 1982.

Nascimento indômito
Ayn Rand nasceu na Rússia, em 1905. Em 1926, foi para os EUA. Em 1939, publicou seu primeiro romance, escrito em 1934. Em 1943, publicou “A Nascente”, adaptado para o cinema e lançado como “Vontade Indômita” (1949): a luta de um arquiteto contra a mesmice e a mediocridade na arquitetura vigente. Um “hino em louvor ao indivíduo”. Em 1957, Ayn Rand publicou outro clássico, a novela “A Revolta de Atlas”.

Nascimento consciente
De Ayn Rand: “Quando você perceber que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno/influência, não pelo trabalho, e que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; quando perceber que a corrupção é recompensada, e a honestidade é auto sacrifício; esteja certo: sua sociedade está condenada.

Na festa das cervejas campeãs da Backer, os sócios da cervejaria, Paula e Halim Lebbos.
Foto: Edy Fernandes

Curtas e finas
Outras pérolas de Ayn Rand: “Você não pode converter homens em escravos se não quebrar seu espírito. Mate sua capacidade de pensar e agir por si próprios. Amarre-os juntos, ensine-os a aceitar, a estar de acordo, a obedecer”.

“Por que acha que eu denunciava a grandeza e elogiava medíocres como você? Os grandes homens não podem ser governados”.

“Por que eu pregava o auto-sacrifício? Se você matar o sentido de valor pessoal de um homem, ele se submeterá”.

Diante do descumprimento da ordem judicial, que proibiu carretas de minério da Phoenix Mineradora na rodovia MG-030, e do conhecimento da decisão por parte do Departamento de Estradas e Rodagens (DER) e da Polícia Militar Rodoviária, moradores de condomínios ao longo da via fizeram, no dia 17, uma grande manifestação contra o trânsito destes caminhões.

A concentração pacífica, com faixas e cartazes de alerta, foi em frente ao posto Polícia Rodoviária, na entrada do condomínio Bosque do Jambreiro.