Boa vizinhança

O aniversariante de hoje, o jornalista Humberto Alves Pereira, sendo carinhosamente abraçado pelo amigo Amaury Jr., em noite de festa no 68, La Pizzeria
Foto: Celso Picchioni

Boa vizinhança

Na esteira de boas e oportunas iniciativas de incentivo à gentileza urbana, leitor da coluna propõe o mesmo para o da boa vizinhança. Para tal, sugere pauta para regular excessos em apartamentos: amortecedor de salto alto noite adentro; abafador de gritos e sussurros oriundos de praticas sexuais ou briga de casais; olfatômetro sinalizando uso abusivo de perfumes com tons doces e másculos em elevadores; uso adequado de pesos e aparelhos na academia do prédio; pique nique com convidados barulhentos na piscina e  na churrasqueira ao som de música sertaneja.

Boas maneiras
Falando de boas maneiras, vale lembrar os velhos tempos da Socila em Beagá. Muito antes de manuais de Glorinha kalil, a escola de boas maneiras era focada em comportamento social , mantendo uma vasta didática de etiqueta, a começar por noções básicas de bem e onde de vestir modelitos; aulas de utilização de taças e talheres na mesa; posturas finas.

Sociedade Emergente
Numa emergente sociedade local, recém chegada à próspera capital de origensruralistas, hábitos culturais europeus, era mesmo um admirável mundo novo até mesmo para as mães das lolitas que se arvoravam a estrear primeiros passos de suas filhas nos salões do Automóvel Clube.

Fantasma moral
Anos glamorosos, páginas viradas, vida que segue! Segue com amigos e familiares desfocados de uma boa conversa por conta de celulares plugados em bares e restaurantes; reuniões que, segundo a cronista Danuza Leão além de desrespeitarem uns aos outros com frases e gritos, tiram a paz da boas conversas de mesa vizinhas.

Sem frescura
Vida que segue com um vale tudo que atropela postulados, adequações, modos e coisas finas, hoje tidas como frescura. Muito mais finas que respeitar horários, se vestir convenientemente e não se esquecer as palavrinhas mágicas como com licença, por favor e saudação ao dia.

Curtas & Finas


*De berço ou não, por aí vai a nossa boa educação. Deus queira que ela se restrinja a pequenas gafes e não à realidade assustadora que testemunhamos em Vitória, no Espírito Santo: um exemplo de caos ético e moral de maus brasileiros.

Sobre o uso excessivo de perfumes, nossa leitora Adria Castro tem na ponta da língua: "Não se trata apenas de boas maneiras e gentileza. É uma questão também de respeito ao próximo."

*Franklin Bethônico, que anualmente promove sessão para assistir a entrega do Oscar, comunica que este ano vai pular a produção do evento.

Coincidindo com o Carnaval, o diretor do Automóvel Clube diz que vai pular mesmo é em meio a outra folia: "bem longe daqui", insinua!

* A Adcos do Pátio Savassi recebeu do shopping o certificado de excelência em atendimento pela campanha de Natal 2016.

A marca ficou entre os cinco melhores atendimentos e concorreu com mais de 200 lojas do mall.