Paulo Navarro | sábado, 18 de maio de 2019

Foto: Fernanda Sa Motta

Fora do eixo

Há quatro anos, Érica Dante realiza o concurso Miss Minas Gerais Plus Size. Por quê? Entre outras sólidas convicções, porque “rótulos são para coisas, não para pessoas, e aí vale a máxima: o que seria do azul se todos gostassem do amarelo?”. E Érica completa: “Muito além de apenas eleger a mais bela mulher ‘plus size’ do estado, o evento traz a proposta de poder e quebra de padrões”.

Érica, o que te lembram os manequins 40, 42 e, depois, 48?

Uma transição! A almejada numeração baixa não me proporcionou uma carreira como modelo, o que só aconteceu depois que ela aumentou! Estar dentro do padrão garante nada.

Afinal, qual é o tipo de mulher do brasileiro?

Não há um perfil específico, ainda que falemos da preferência dos homens pelo bumbum nacional! Mais interessante pensar em corpos e gostos variados com a diversidade tão brasileira.

Corpos perfeitos só existem na publicidade, novelas e cinema?

Depende do conceito de corpo “perfeito”. Temos mulheres com corpos “perfeitos”, mas são uma minoria. Existe também um trabalho para a criação de imagens para essas mídias longe do real. O bombardeio de imagens perfeitas reforça a ideia equivocada de que há um padrão certo.

Aliás, o que é um corpo perfeito?

Um corpo saudável onde quem o habita está feliz! E ser saudável é “um estado de bem-estar físico, mental e social”.

Há espaço e beleza para todas?

Com toda certeza! Por isto a ideia de padrão tem que ser desconstruída e a diversidade, propagada. É um processo longo, pois a ideia de seguir padrões nos é tão enraizada que já vemos isso como algo natural, mas não é.

O que é a Equipe Plus?

A concretização da proposta de valorizar e profissionalizar mulheres “plus size” da mesma forma com que já acontecia com mulheres de manequim menor. Como modelo, a minha sorte foi ter tido o devido preparo quando ainda vestia numeração 40, pois, como modelo “plus size”, recebi nenhuma orientação para entrar no mercado e me manter nele. A Equipe Plus é a primeira agência de modelos exclusivamente “plus size” do estado.

E o Miss Minas Gerais Plus?

O maior evento do segmento “plus” em Minas, o único concurso “plus size” estadual. É um momento com todo luxo e glamour que lhe cabe e é transformador na vida de muitas mulheres.

Como anda o mercado GG?

Tem crescido, e muito! Só no ano passado o mercado movimentou mais de quatro bilhões e a expectativa para 2019 é que esse valor dobre. Ainda há vários nichos a serem explorados dentro da proposta “plus size”, como acessórios, noivas e lingerie.

Qual o conselho mais frequente que você dá às mulheres?

Buscarem sua melhor versão! Quer emagrecer? Emagreça! Se sente bem como está? Busque ser saudável! Há algo que está te incomodando (no corpo ou fora dele?) e que pode ser mudado? Mude! Muito se fala de autoaceitação, mas é preciso diferenciar autoaceitação de comodismo.