A cidade perfeita


Foto: 
Ricardo Laf/Belotur

 

Para Aluizer Malab, presidente da Empresa Municipal de Turismo, Belotur, no Turismo, em BH, "falta nada, tá tudo aqui". Malab, além de ter produzido grandes shows, especializou em gestão cultural na PUC MG. É graduado em Administração e Economia. Tem cursos em Merchandising, Produção e Marketing Cultural. Participou do 1º Seminário Nacional Gestão Estratégica de Marketing e Comunicação. 

 

- O que falta para a Belotur decolar?

- Faltavam investimentos. Faltava projeto de Turismo, um alinhamento total com o desenvolvimento da cidade para montar esse plano de voo. Agora temos.

 

- São Paulo e BH eram túmulos do Samba e do Carnaval, hoje atraem turistas de todo o Brasil. Os blocos nasceram sozinhos. Os "outros turismos" em BH podem nascer sozinhos também?

- O carnaval de rua no Brasil segue uma tendência mundial de ocupação de espaço público. Aqui, o fato de surgir espontaneamente não desmerece a organização que a cidade oferece para que possa manter e crescer. Acreditamos que temos atrativos suficientes para potencializar nosso turismo local, regional, nacional e internacional.

 

- Como empresário do entretenimento, o que você agrega a Belotur?  

- Como produtor há 30 anos, desenvolvi musculatura para enfrentar desafios. Porém, esse novo olhar de cidade é um desafio sem fronteiras.

 

 - São Paulo tem negócios, gastronomia... O Rio continua lindo por natureza. Não passou da hora de BH criar atrativos turísticos?

 - Trabalhamos na integração dos nossos atrativos para mais visibilidade. No primeiro ano de gestão, tivemos o melhor Carnaval de todos tempos. Transformamos o Arraial de Belo Horizonte em um dos cinco principais festejos juninos do país. Temos um projeto de turismo. Não creio que necessitamos criar nada, está tudo aqui ou no entorno.

 

- BH é uma cidade jovem, sem história. Sem citar a batida Pampulha, o que ela tem de atraente?

- Jovem sim, sem história jamais. BH é surpreendente, as pessoas que aqui chegam pela primeira vez, normalmente, vêm sem grandes expectativas. São bem recebidas. Encontram uma cidade cultural, moderna e bem cuidada. A tendência mundial de turismo projeta a experiência e não mais a contemplação. Como "hub" para atrativos no entorno, BH tem atratividade de sobra.

 

 - As pessoas vêm a BH, resolvem o que é preciso e dia seguinte vão embora. Por que? O que falta para "prendê-los"?

- Esse  é o perfil do turista de negócios e não do nosso turista. Queremos que o belo-horizontino conheça melhor sua cidade. A promoção de nossos atrativos é extremamente importante para nós mesmos e assim potencializamos nossa promoção.

 

- Acha que festivais, mostras, concursos de arte atraíram turistas?

- Sem dúvida, temos uma infinidade de festivais de grande projeção. Na área do conhecimento também. Um pólo tecnológico invejável.

 

- Por que faltam grandes monumentos em BH? As bases são maiores que as estátuas...

- Dentro da nossa característica temos monumentos, conjuntos arquitetônicos, parques. Falta nada, tá tudo aqui.